Viagens do Lider

Gonçalo Figueiredo

Engenheiro e fotógrafo de formação, diretor criativo de profissão, viajante de alma e aventureiro de coração, sou o Gonçalo (Gonças) e vivo o mundo como sempre o fiz, uma aventura e uma história de cada vez. Aos 8 anos estriei-me na vela e windsurf de competição e aos 14 anos fui de Coimbra a Aveiro a pedalar, com escala na Figueira da Foz, que o caminho mais curto raramente conta boas histórias. Viajei por meio mundo desde então, cruzando 5 continentes. Distingui-me na fotografia, desenvolvendo trabalhos para empresas como a Nokia, a Microsoft ou a Air Asia. Co-fundador do National Geographic Exodus Aveiro Fest, criei também o #WildWithPurpose, um projeto de viagem e aventura irreverente.
Açores

18 a 25 abril | 8 dias

Três ilhas, três palcos, três mundos, três tempos, três razões para não perder uma viagem fantástica ao centro daquele que é, na nossa opinião, um dos mais bonitos e diversificados arquipélagos do mundo. Durante 8 dias de puro êxtase vais experienciar o famoso triângulo do grupo central, começando na Ilha do Faial, continuando pela Ilha do Pico e acabando na Ilha de São Jorge com um grande final antes de regressar ao continente.
Quénia

10 a 22 julho | 13 dias

A alma de África num só país, que nos transporta por cenários das grandes produções cinematográficas como o "Out of Africa", "Tomb Raider - Cradle of Life", "Sense8", "Inception", ou para a animação "Lion King”. Ainda hoje no imaginário de várias gerações que conheceram África através dos documentários de vida selvagem produzidos neste local mágico. Por entre estradas de asfalto, intercaladas por trilhos de terra e lama, atravessando a linha do Equador e passando por florestas encantadas, cheias de "tesouros" escondidos; montanhas envoltas em neblina, com vegetação que se move com o respirar da vida selvagem, savanas imensas que servem de casa a algumas das últimas espécies do mundo, lagos que refletem o cor de rosa dos flamingos, cascatas imensas que caem em piscinas de um azul profundo, canyons e rochas que mais parecem esculturas... e o mar, o índico das águas turquesas, das palmeiras, dos recifes, da água morna e do povo hospitaleiro.
×